Escolha uma Página

A persona é uma representação semi-fictícia de seu cliente ideal com base em pesquisas de mercado e dados reais sobre seus clientes existentes. Então, ao criar suas personas do comprador, considere incluir dados demográficos, padrões de comportamento, motivações e metas do consumidor. Quanto mais detalhado você for, melhor.

Sem dúvida, criar uma persona pode ser uma boa maneira de entender e reconhecer as necessidades de um grupo de consumidores. Portanto, toda empresa deve reservar um tempo para avaliar quem são seus clientes potenciais.

Por exemplo: uma empresa de desenvolvimento de aplicativos pode identificar seu público-alvo criando personas de usuário para saber com precisão quem é seu cliente ideal. Confira agora algumas dicas importantes para a criação de uma persona.

1 – Conheça a diferença entre persona de usuário e do comprador

Diferenciar entre personas de usuários e personas de comprador é fundamental. Para produtos empresariais, em particular, o comprador, às vezes é muito diferente do usuário do produto. 

Por exemplo, o comprador de uma loja de brinquedos é provavelmente pai, mãe ou avó de uma criança. No entanto, os usuários serão as crianças.

2 – Converse com seus clientes

Para construir suas personas, a melhor estratégia é estabelecer um canal de comunicação com seus clientes existentes. Entender o que motiva eles a comprar ajudará você a se comunicar com mais eficiência com esse nicho de mercado. 

Além disso, converse com sua equipe de vendas. Afinal, eles estão na linha de frente vendendo os seus produtos todos os dias, por isso são importantes. Isso pode parecer óbvio, mas muitos empresários se esquecem desse valioso recurso interno. 

3 – Saiba quem você quer atender

Para criar sua persona de comprador ideal é preciso descobrir exatamente quem você quer atender. O melhor jeito de começar é imaginar quem realmente é essa pessoa. Crie uma visão de seus interesses e modo de vida. Em seguida, faça pesquisas no mercado.

Além disso, estabeleça suas metas e desafios. Comece a construir uma visão mais globalizada de seus potenciais consumidores, aproveite as redes sociais para colher dados sobre seus clientes potenciais.

4 – Entenda os problemas de seus clientes

Para criar sua persona ideal, é preciso determinar qual problema o usuário tem e como seu produto ou serviço pode resolver. Então, compreendendo isso, você pode definir como a sua oferta pode ajudá-lo. É importante saber também onde eles normalmente buscam informações sobre como resolver esse problema.

5 – Não tente encontrar a persona perfeita

Pense no usuário, até mesmo numa perspectiva que ele tenha pouco interesse em seu produto. Desenvolva várias personas porque não existe cliente perfeito.

Assim, quando chegar a hora de criar campanhas de marketing direcionadas ao seu público-alvo, com essa personalidade em mente, você poderá criar algo tão convincente que até os compradores mais difíceis serão motivados a comprar. 

6 – Saiba quando e onde alcançá-los

Quando você desenvolve personas, uma das coisas mais importantes a considerar além de quem são, onde estão no ciclo do comprador e como tomam suas decisões, é onde e quando alcançá-los. 

Considerar as plataformas, os canais, os horários do dia e o método geral de comunicação, ajudará a garantir que seus anúncios sejam otimizados para esse público. 

7 – Não tente criar apenas uma persona

É essencial que você não tente criar uma persona geral para resumir seu público-alvo. É preciso considerar suas variações para criar segmentos e subsegmentos de consumidores.

Dessa forma, você entenderá quais grupos é preciso priorizar e quais não têm valor. A partir daí, você pode pesquisar e mapear melhor como cada pessoa pensa, sente e age para melhor direcioná-las a comprar seus produtos. 

8 – Defina quais são os objetivos da sua empresa

É importante definir qual é o propósito da sua marca. Isso porque é a sua razão de existir além do lucro. Isso ajuda a orientar as ações de sua empresa, explicitar seu objetivo geral, fornecer um caminho e guiar a tomada de decisões. Assim, você poderá enxergar melhor “o quadro ou contexto em que as estratégias da empresa são formuladas”.

Veja também: Google Ads ou Facebook Ads: qual é a melhor estratégia de mídia paga?